Follow by Email

terça-feira, 18 de abril de 2017

O Desenho

Como a Vênus renascentista
Tu apareces linda
Nascida do mar
Com traços fortes
E mesmo assim delicados
Eu te escrevo
Trago para uma dimensão menor
A tua luz que me cega
O teu olhar que me queima
A tua boca que só de pensar
Eu consigo sentir
Sem sentir
A tua suavidade arreja
Fascina
Por que tu sais da concha?
Por que me deixas ver a tua pérola?
Por que tão rápido quanto abre
Tu a feichas ?
E eu mortal que sou
Impinotizo-me
Sinto-te no vento
Na lua
No sol
Vivo com a tua onipresença
Que delírio incurável
O de ter-te para sempre
Dentro da minha prisão
E sempre partir
Dentro do teu mar.

Deborah MM





sexta-feira, 14 de abril de 2017

Olhares Livres


Olhar fechadinho de quem acha graça
Olhar aberto e atento
Olhar fixo de tensão
Olhar brilhante de admiração
Olhar molhado de emoção
Esses teus olhares que sentem
De corpo inteiro
E que independente da carga que recebem
Escolhem
Escolhem
Escolhem
Continuam escolhendo
Ficar neste olhar
Esse olhar fechadinho
De quem ri
De quem tem no espírito
O peso de uma pena
E que como uma criança
Que entrou na loja de brinquedos
Consegue girar em todas as direções
Para escolher com o que brincar
Esse olhar que se aproxima
Que olha de baixo pra cima
Encarando para ter certeza
Como quem diz
"Jura,jura, juradinho?"
Mais liberdade para o teu olhar
Que ele tire seus pés do chão
E lhe faça voar
Com as pétalas dos teus pés
Que os deuses te recebam
Te abençoem
E o vento te leve
Leve,leve
Leve,leve
Leve,leve
Para onde o teu olhar quiser
Na terra estarei olhando
E pedindo
Que este olhar permaneça
Assim
Fechadinho como quem gargalha
Pois não há liberdade maior que sorrir.

DeborahMM









sexta-feira, 31 de março de 2017

Escolhas

Aquele toque frio
De arrepiar os pelos
Aquela vontade de fim
E o que acontece depois?
Será que tem depois?
Que tentação louca
Esse toque que finaliza
Mas não resolve
Que dá fim
Mas não acaba
Que invade e que sangra
Corta
Dói
E não mata de uma vez
Porque essa sede não acaba?
Muito há para se beber e comer
Mas parece que só o que basta é o próprio sangue
A própria carne
A dor não decide se é alívio
Ou prisão
Torturador ou herói
Mais uma vez a ferida não aparece na pele
Mais uma vez a alma sangra
Mais uma vez eu vou te impedir de me tocar
Tiro o teu frio dá minha pele
E te guardo de volta
Nem o teu frio se decide
Se me faz frio ou se me queima

Deborah MM



Epitáfio


Estava cheio
cheio de um vazio
tão cheio
que transbordava
que angústia , não?
transbordar,derramar e continuar cheio
cheio de um vazio.

Deborah MM








domingo, 19 de fevereiro de 2017

Um dia de sol

Um jardim verdinho
Crianças brincando
Ideal para fotos
Um dia sem nuvens
Sol aberto
Iluminado
Eu tiro os óculos
Sinto o cheiro de vida
Olho para o sol
Os olhos não suportam a luz direta
Mas ao olhar a minha volta
Para o verde da grama no chão
Consigo ver tudo iluminado por este mesmo sol
Se olhar em volta
Posso retirar os óculos escuros
E ver as cores

DeborahMM



sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Sala Precisa


Um lugar para reunir
Onde tudo se esconde
Que pega fogo
O descanso do princípe mestiço
"Se perguntar jamais saberá
Se souber só precisa pedir"
É tudo
E depois nada
Até alguém precisar muito de um banheiro

DeborahMM


quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Coisas simples

O nascer do sol
A lua cheia
As ondas do mar 
O canto dos pássaros
Tantas coisas
As vezes a gente só esquece
Eu nunca tinha visto tanta emoção
As lágrimas nos teus olhos
Hoje você foi lembrada
Hoje outro olhar te mostrou 
Aquilo que você não vê
E você ficou feliz
Eu não esperava
Estou acostumada a tua não emoção
Ao teu não ver
Continuo não esperando
Mas quando a surpresa é boa a gente ri

DeborahMM



quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Aquarela

A parede azul
Sempre foi azul
Ficava só olhando
Depois aprendi a pintar
Ajudava a pintar a parede de azul
Com o tempo
Vai descascando
E eu pintava de novo
Uma vez ela descascou
E eu vi que um dia ela tinha sido vermelha
Antes de todo aquele azul
Quis saber
Fui atrás
Investiguei
Ela foi vermelha muito tempo
Hoje eu ainda pinto de azul
Sabendo que existe vermelho embaixo
E se eu deixar de pintar?
De que cor ela vai ser?
Quando eu deixar de pintar essa parede
Será que alguém vai pintar de azul?
Será que tem outra cor embaixo do vermelho?
Eu tenho uma cor guardada
Quero que a minha parede seja branca
No branco tem todas as cores
E elas coexistem juntas
E não individualmente.

Deborah MM




Faz de conta

Se eu falar em Aladdin todo mundo vai lembrar do ladrão,que morava nas ruas. Alguém lembra o por quê? Como ele foi parar nas ruas?
Se eu falar na Mulan todo mundo vai lembrar que ela lutou na guerra e salvou a China. Alguém lembra o por quê? Como ela foi parar na guerra?
As pessoas não levantam um dia e dizem eu vou morar na rua e ser ladrão ou vou para a guerra salvar a China.
Como essas histórias são fantásticas, então as pessoas não prestam tanta atenção nos motivos, ligam para o que os chama atenção.
Para que o hoje seja ,o ontem teve que existir, então hoje é uma consequência.
Como diria Olga Benario "fui treinada para isso"

Deborah MM

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Sobre

Não foi trabalho forçado como o que os Thernadier fizeram com Cosette, não foi o cárcere do Frollo com o Quasimodo, não foi como a guerra em que lutou Mulan, não foi sobre o conflito de Pocahontas,não foi como a raiva de Anne, não foi como o jogo do contente de Poliana, não foi sobre os bailes,viagens e requintes de Rose, não foi como a dor de Lisbeth ,não foi como a vingança do V e não foi como a imagem que Harry viu no espelho de Ojesed.

Foram as mentiras que Cosette ouviu e as verdades que não ouviu,foi a confusão entre o homem e o monstro, foi o sacrifício silencioso de Mulan,foi sobre "selvagem ser diferente de você"- Pocahontas,foi sobre ter um diário para falar,foi sobre receber o que viesse e ser grato a tia Paulina,foi sobre "como estar no precipício com ninguém pra me tirar dele, ninguém que ligasse ou que ao menos notasse" - Rose, foi a certeza de ter de se defender sozinho, foi a luta por uma ideia, foi sobre ter ao seu redor pessoas como o professor Dumbledore,Macgonagall, os Wesleys,...

Poderia ter sido pior
Poderia ter sido melhor
Mas não foi
Foi do jeito que foi, nem mais , nem menos
Foi muito ruim e também foi muito bom
Foi o que foi possível ser
Hoje existem outras possibilidades

DeborahMM

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Sem ver

Eu estarei sem estar
Naquele escudo do Nirvana no chão
No DVD da fábrica de chocolate
Quando você acertar o alvo
Nas tintas e pincéis
Nas dedicatórias dos livros
Na camisa do Einstein
Nos desenhos da Disney
No deck azul
Nas danças terei cadeira cativa
No riso das cócegas
Até nas ausências
Te acompanheirei em todas elas
E assim te verei partir
Amando sempre com todas as forças
Sem mas
Sem pontos ou vírgulas
Apenas reticências
Assim te acompanharei sem estar
E verei de olhos fechados
E onipresentes

Deborah MM