Follow by Email

terça-feira, 18 de abril de 2017

O Desenho

Como a Vênus renascentista
Tu apareces linda
Nascida do mar
Com traços fortes
E mesmo assim delicados
Eu te escrevo
Trago para uma dimensão menor
A tua luz que me cega
O teu olhar que me queima
A tua boca que só de pensar
Eu consigo sentir
Sem sentir
A tua suavidade areja
Fascina
Por que tu sais da concha?
Por que me deixas ver a tua pérola?
Por que tão rápido quanto abre tu a fechas ?
E eu mortal que sou
Hipnotizo-me
Sinto-te no vento
Na lua
No sol
Vivo com a tua onipresença
Que delírio incurável
O de ter-te para sempre
Dentro da minha prisão
E sempre partir
Dentro do teu mar.

Deborah MM





Nenhum comentário:

Postar um comentário